Read some of the articles here in English. Look for the [English] sign.

15 janeiro 2005

Os Novos Ateus

Kerby Anderson, traduzido por Allan Ribeiro

Por séculos tem havido um conflito e debate entre os ateus e o cristianismo. Mas o surgimento do que os jornalistas estão chamando de "Os Novos Ateus" representa uma mudança significativa na natureza do debate. "Os Novos Ateus" são parte realidade e parte bordão jornalístico. Ela identifica os novos contendores na batalha em curso entre ciência e religião.

Diferente dos ateus que vieram antes deles e que ficavam satisfeitos em meramente argumentar que o cristianismo não está com a verdade, estes novos ateus agora argumentam que o cristianismo é perigoso. Uma coisa é argumentar contra o erro do cristianismo, mas outra coisa bem diferente é argumentar contra o mal inerente ao cristianismo.

Muitos desses autores têm livros na lista dos mais vendidos do New York Times. Carta a uma Nação Cristã, de Sam Harris é um desses livros entre os dez mais. Ele vai além do argumento tradicional de que o sofrimento no mundo prova que Deus não existe. Ele argumenta que a crença em Deus na verdade causa sofrimento no mundo. Ele diz, "Que tanto deste sofrimento possa ser diretamente atribuído à religião – ao ódio religioso, guerras religiosas, desilusões religiosas e digressões religiosas de parcos recursos – é o que torna o ateísmo uma necessidade moral e intelectual". Ele argumenta que a menos que renunciemos à fé religiosa, a violência religiosa logo irá levar a civilização ao seu fim.

A resposta a esse livro tem sido entusiasmada. Um leitor achou que o livro é "uma maravilhosa fonte de munição para aqueles que, como eu, não têm qualquer doutrina religiosa". Outros adoraram que ele tenha batido no cristianismo. Para eles "foi como estar sentado ao lado do ringue, aplaudindo o campeão, gritando 'Sim!' a cada soco".

Mas os cristãos não são o único alvo de sua crítica. Harris também argumenta que os moderados religiosos e até mesmo os teólogos liberais funcionam como "avalizadores" do cristianismo ortodoxo. O seu livro não é uma crítica somente aos cristãos, mas é um chamado às pessoas tolerantes de centro para que desçam do muro e se juntem à esses novos ateus.

Outro livro popular é A Desilusão de Deus do professor de Oxford, Richard Dawkins. Ele diz que a crença religiosa é psicótica e que argumentos a favor da existência de Deus são bobagem. Ele quer tornar o respeito à crença em Deus socialmente inaceitável.

Ele conclama os ateus a se identificarem entre si como tal e a se juntarem para lutar contra as desilusões da fé religiosa. Ele diz, "O número de pessoas não-religiosas nos Estados Unidos é algo mais próximo a 30 milhões do que a 20 milhões de pessoas. Isso é mais do que todos os judeus do mundo inteiro juntos. Eu acho que estamos na mesma posição em que o movimento gay estava algumas décadas atrás. Havia uma necessidade de que as pessoas se mostrassem".

Como Harris, Dawkins não discorda simplesmente da fé religiosa, mas discorda da tolerância à fé religiosa. Ele argumenta que as pessoas religiosas não deveriam poder ensinar esses "mitos" religiosos a seus filhos, o que Dawkins chama de "colonização dos cérebros dos pequenos inocentes".

Dawkins força a ligação entre evolução e ateísmo. Ele crê que a teoria evolucionista deve logicamente levar ao ateísmo. E ele declara que não irá se preocupar com as conseqüências para as relações públicas em amarrar evolução e ateísmo.

Daniel Dennet é outra figura importante e autor do livro Quebrando o Feitiço: A Religião Como um Fenômeno Natural. Ele não usa a retórica áspera e crítica dos outros, mas ainda assim é capaz de tecer argumentos a favor da sua tese de que a religião deve ser submetida à avaliação científica. Ele crê que "uma educação neutra, cientificamente informada sobre toda religião do mundo deveria ser obrigatória na escola" já que "se você tem que enganar – ou vendar – os seus filhos para garantir que eles confirmem a sua fé quando adultos, a sua fé tem que ser extinta".

Somando-se aos livros dos "Novos Ateus", há um número de outros que têm como alvo os cristãos conservadores. David Kuo escreveu Tentando a Fé, para dizer aos cristãos conservadores que eles foram levados a um passeio pela administração que os ridicularizou por detrás das portas fechadas. Adicione a isso Venha o Reino: O Surgimento do Nacionalismo Cristão, de Michael Goldberg e Venha o Vosso Reino, de Randall Balmer e ainda Teocracia Americana, de Kevin Phillips. Cada um deles colocou as pessoas religiosas bem na sua mira e puxou o gatilho.

Muitos desses livros beiram a paranóia. Considere o livro de James Rudin, O Batismo da América. Em seu primeiro parágrafo ele diz, "Um espectro ronda a América, e não é o socialismo e certamente nem o comunismo. É o espectro do dobrar os joelhos dos americanos em submissão à uma interpretação em particular de uma religião que tem se tornado uma ideologia, um onipresente modo de vida. É o espectro de nossa nação governada pela extrema direita cristã, que gostaria de tornar os Estados Unidos uma 'nação cristã' onde a sua versão da lei de Deus se sobrepõe à todas as leis humanas – inclusive à Constituição. Esta, mais do que qualquer outra força no mundo hoje, é a ameaça imediata e profunda à nossa república".

Esses comentários vão do fanatismo anti-cristão à paranóia anti-cristã. Por favor, me diga quem são esses perigosos cristãos conservadores para que possamos corrigi-los. Eu entrevisto muitos líderes e não ouço sequer uma insinuação a respeito disso. Quando muito, esses líderes querem que os juízes sigam a constituição, não sobrepô-la com outra versão (seja secular ou cristã).

Rudin vai adiante e argumenta que esses líderes cristãos emitiriam uma carteira de identidade nacional onde constasse a crença religiosa de cada um. Novamente, quem são essas pessoas de quem ele está falando? Francamente, eu ainda não encontrei ninguém que quisesse uma carteira de identidade nacional (seja secular ou cristã).

A despeito disso, Rudin sustenta que "tal carteira daria aos cristocratas um tratamento preferencial em muitas áreas da vida, inclusive a propriedade de casas, empréstimos estudantis, empregos e educação". E os censores religiosos nomeados controlariam todo discurso e tornariam fora da lei toda dissensão. Você sabia que nós queremos isso?

Claramente estamos passando para uma época na qual os ateus vêem a religião como cheia de erros e maldade. E os cristãos conservadores estão sendo especialmente discriminados por suas crenças na verdade da Bíblia.

Os cristãos deveriam responder de três maneiras. Primeiro, devemos sempre estar prontos a dar uma resposta pela esperança que há em nós (1 Pedro 3.15) e devemos fazê-lo com mansidão e reverência. Segundo, devemos confiar no poder de Deus para todos aqueles que crêem (Romanos 1.16). Terceiro, devemos viver vidas santificadas perante o mundo, para que possamos (por nosso bom comportamento) silenciar a fala ignorante dos tolos (1 Pedro 2.15).

© 2006 Probe Ministries International

10 comentários:

Anônimo disse...

acredito que esta chegando a hora de que tantas pessoas que ganham com mentiras e empobrecem nossa ciencia sejam desenmascarados por nossos melhores cerebros que tem a humanidade...... um abrazo e força a todos os ateus do mundo que sao os unicos seres cujo cerebro foi afetado pela evoluçao...

Allan Ribeiro disse...

Realmente, querido anônimo,eu não poderia deixar de concordar com você!

Os ateus, que "ganham com mentiras e empobrecem nossa ciência" precisam continuar a ser desmascarados pelos melhores cérebros que tem a humanidade.

O cérebro deles foi certamente afetado pela evolução, mas ainda há esperança!

Anônimo disse...

oh meu querido quando eu me referi aos melhores cerebros obviamente estava-me referindo aos ateus... pq os religiosos tem .... em lugar de massa encefalica dentro de suas cabeças...
tomara que deus mande ao inferno a todos esses religiosos que abusam de pessoas inocentes carentes de uma ajuda sobrenatural..

Allan Ribeiro disse...

Ah, você voltou!

Então o seu cérebro privilegiado não foi capaz de perceber minha ironia?

O que você tem contra os acentos? Você vive em outro país e não tem um teclado adaptado à ABNT?

Mas nós concordamos em um ponto: que Deus mande para o inferno todos esses religiosos que abusam de pessoas, inocentes ou não, carentes ou não!

Digo com isso que há pessoas com fé e pessoas exploradoras da fé alheia. Mas não tomemos a parte pelo todo, pois esta é uma falácia tão antiga que tem até nome.

Obrigado por escrever de novo. Me desculpe pela ironia, é que eu não resisti. O seu primeiro texto estava muito ambíguo e eu quis mostrar isso.

Yan disse...

Muito boa essa matéria sobre "Os Novos Ateus" ...
Já está na hora dos Ateus sairem do armário ...
Allan pelo jeito é cristão ...mas não usa o argumento correto em relação ao comentário do Anonimo ...
O cristianismo está destruindo o mundo ... isso já uma bela prova que deus não existe e mesmo se existisse porque chamar de deus uma criatura que faz com que milhares de crianças passem fome ... que se matem ... que deus é esse ... e se ele realmente existe , porque não aparece e acaba logo com isso ...
Quando olhamos para o céu não vemos um velhindo de barba branca sentado em uma nuvem ... deus é FAKE ...
Tenho apenas 14 anos , mas ja tenho meus próprios argumentos ...

Desabafo disse...

Deus e o diabo... kkk Vivi minha vida toda dentro de uma família religiosa, pensando que estava pecando só de pensar... Nunca acreditei na biblia, livreco cheio de contradições... Minha vida é boa, não sofro, nunca julguei e nem culpei a Deus por nada, sempre agradecia e acreditava que nada me faltava graças a Deus. Até que um dia tirei a venda de meus olhos e percebi que nada me falta porque trabalho e luto para viver bem! Não tenho nada contra as pessoas de bem, mesmo que elas acreditem no sobrenatural, mas respeitem minha vida e minha escolha, pois essa vida é única e preciso vivê-la da melhor maneira possível, é claro que respeitando sempre o próximo, como sempre fiz... Sempre fui uma boa pessoa, mas me sentia inferior, pois nunca gostei de igrejas e os religiosos tratam pessoas que não são como eles, de pessoas "do mundo". Assim eu me sentia Má e pecadora... Quem precisa de religião para fazer o bem, já tem um grande problema...

Allan Ribeiro disse...

Minha cara,

Minha história parece um tanto com a sua, até eu descobrir que religião é invenção do Diabo. Estou fora também! Eu tampouco acreditava na Bíblia, embora hoje não consiga imaginar uma explicação melhor para a realidade. Você já leu a Bíblia? De que contradições você está falando? Talvez você possa me ajudar a ver algo que eu não consigo.

Você também parece ter tido problemas de aceitação com pessoas do tipo "religiosa". Parece que isso tem embotado a sua percepção de Deus. Se Deus existir, será que não é injusto condená-lo pelas ações de pessoas que se dizem Seus seguidores? Será que se uma das pessoas que seguem este blog te escrevessem para te atacar eu poderia ser responsabilizado por isso?

A Verdade está lá fora. Gostaria de conversar mais com você sobre isso.

Desabafo disse...

Caro Allan... Já li a bíblia sim, embora nunca tenha realmente acreditado em suas escrituras, mesmo porque ela nada mais é que um telefone sem fio, que foi escrito, reescrito e traduzido várias vezes, por muitas pessoas e para diversas linguas. Até então, eu nunca acreditei em nenhum santo e em nada além de Deus. Eu era um pouco espiritualista(Não espírita, pois nunca frequentei nenhuma religião!) Acreditava em algo dentro de mim. Um sentimento que me dizia que não podia ser só isso! Mas algo mudou, e pensando racionalmente, porque seríamos diferentes ou até melhores ou mais importantes que um rato? Ou qualquer outro animal ou inseto existente? No paraíso terá moscas e baratas? Acho que a única diferença entre nós e os citados é o tamanho do cérebro, e ainda assim, não sei bem se realmente somos mais espertos ou evoluídos do que eles, pois tem certos seres humanos que agem mais irracionalmente que qualquer ser existente...
Não acho que sejamos seres importantes, modelados e criados por um Deus maior. Acho que fomos condicionados a acreditar em tudo isso para seguirmos regras, e sermos diciplinados, isso não seria ruim, a sociedade precisa de regras e alguns seres humanos precisam acreditar em algo maior para aprender respeitar outros seres, porém pessoas de má conduta matam e guerreiam em nome de Deus, e essas pessoas continuariam sendo as mesmas pessoas se fossem ateus, pois é a conduta delas serem quem são! Por isso acho que todos nós, religiosos ou não, devemos nos respeitar e não nos atacar... Podemos ter ponto de vistas diferentes, mas acredito na bondade e na maldade de cada um...
Uma criança criada na igreja católica, vai acreditar fielmente que existem dezenas de santos... Já a que for criada na batista, só acredita em Deus... Acho que ambas devem ser respeitadas, pois suas crenças foram impostas pelas famílias. Mas isso não acontece, as pessoas se atacam sem questionar se realmente tudo que acreditam é real... E os religiosos sempre vão atacar os ateus dizendo que quem está falando por eles é o diabo, e alguns ateus atacaram os religiosos, dizendo que não pensam ou que são tolos... Infelismente isso não vai mudar. Só acho que devemos viver a vida da melhor maneira possível, sempre respeitando o espaço do próximo, mas não perder tempo com coisas pequenas, porque, e se for só isso mesmo? E se não passarmos de bactérias pensantes?
Um abraço e seja feliz...

Allan Ribeiro disse...

Por ser um desabafo, entendo a torrente de informações. Porém, para podermos dialogar, eu preciso mesmo é de proposições (afirmações que possam ser negadas ou confirmas.
Vamos ver o que podemos fazer.
1.Fato: a Bíblia é um livro antigo, escrito em pelo menos 2 idiomas, por mais de 40 autores, ao longo de pelo menos 1.500 anos. Se pegarmos um texto qualquer, escrito em grego ou hebraico antigo e o traduzirmos, não importa para quantas línguas ele seja traduzido, sua qualidade original permanece. Algo se perde se forem feitas traduções de traduções, o que não é o caso da Biblia, pelo menos não na maioria das traduções de que dispomos em português.

2.Pensando racionalmente, o tamanho do cérebro pode ser um critério bom para definir quem é quem no reino animal. Pode até haver outros. Mas eu não entendi o que isso tem a ver com a nossa discussão aqui. Afinal, o fato de alguns, ou muitos seres humanos agirem irracionalmente não pode ser motivo para condenar a todos.

3.Quando você diz que não acha que somos importantes ou acha que fomos condicionados, ficamos no campo da opinião e não podemos discutir. Eu também daria minha opinião e ficaríamos por isso mesmo.

4.Se fomos realmente condicionados eu devo perguntar, quem nos condicionou? Se há um condicionamento e ele é tão forte assim, como podemos confiar em qualquer outra crença que temos, inclusive as teorias científicas (ou mesmo tudo o que você disse)?

5.Você acha que todos devemos nos respeitar e não nos atacar, mas como se há pessoas que são tão más que só lhes resta “serem quem são”?

6.Eu fui criado em uma família católica e, ainda criança, decidi que Deus não existia. Só voltei a crer em Deus quando me tornei cristão, já adulto. Minha mãe gostaria que eu continuasse católico e minha avó queria que eu fosse padre. Isso não foi suficiente para impedir que eu seguisse o meu caminho.

7.E se não for só isso mesmo? Se você estiver certa, tudo acaba no momento da morte e não temos nada com o que nos preocupar. Se você estiver errada, contudo...
Foi esse raciocínio que me fez aceitar Jesus tantos anos atrás (e também o fato de que a doutrina que eu ouvia os batistas pregarem fazia muito sentido, era racional pra caramba!

Um abraço!

Anônimo disse...

Meu Deus, ao ler esta metéria fico chocada! para os que nao creem só o que posso fazer é orar por todos pois esta história de novos ateus está clara na biblia! na verdade tudo que acontece no mundo está claro na biblia. Fico com pena dos cegos que nao prestam atençao nas ciladas do inimigo, a incredulidade se propagando, forças a todos os critãos. me chamem de louca e o que quiserem,minha vida mudou depois que aceitei a Cristo, e jamais o negarei! Glorias sejam dadas ao MEU SENHOR E SALVADORE JESUS CRISTO!